Atenção

Fechar

Área restrita

Esqueci minha senha

PROFISSIONAIS

NOTÍCIAS

11/05/2021

Cirurgiões Buco-Maxilo-Faciais do Rio Grande do Norte fazem alerta sobre acidentes e cirurgias no Maio Amarelo

O Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial apoia, neste mês, a campanha Maio Amarelo, reforçando a prevenção ao trauma de face. No maior pronto-socorro de Natal, Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, os acidentes de moto já responderam por 70% do número de internações. Segundo o Ministério da Saúde, entre 2002 e 2012, o número de internações nos hospitais cresceu 115% no país, enquanto no Rio Grande do Norte este índice foi de 153,4%.

Para o Cirurgião Buco-maxilo-facial e coordenador do Capítulo da Paraíba e Rio Grande do Norte, Kerlison Paulino de Oliveira, a demanda por procedimentos cirúrgicos ocorre em decorrência, principalmente, da crescente violência urbana, acidentes automobilísticos e motociclísticos, quedas e violência por arma de fogo, além dos fatores socioeconômicos e do envelhecimento da população, predispondo-a a acidentes domésticos, entre outros.

As estatísticas do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RN), no ano de 2019, demonstram que a frota de motos no Rio Grande do Norte responde por 534.630 unidades registradas no Detran. No período de 2009 a 2018, os valores gastos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) foram da ordem de 3 bilhoes. Apenas estado do Rio Grande do Norte, tais gastos custaram 42,4 milhões. No período citado houve 26 mil internações em decorrência dos acidentes nas ruas e rodovias que cruzam o estado. A maior média registrada de vítimas ocorreu em 2015, quando 29 novos pacientes eram atendidos por dia. Já em 2019, esta média diminuiu para 17,2 ocorrências diárias.

“Estes dados demonstram que as campanhas de informação e conscientização vêm mostrando resultados. No entanto, os quadros de gravidade dos casos que recebemos, a superlotação dos corredores e a impressão nos plantões de fim de semana são de que essa demanda permanece muito alta e preocupante, pois os traumatismos podem exigir tratamentos de alta complexidade, além de poderem resultar em sequelas significativas à integridade física dos pacientes, devido à escassez de insumos ortopédicos. Isso implica negativamente na qualidade de vida das vítimas de acidentes de trânsito, além de resultar em alto custo social e econômico, inclusive com crescentes judicializações”, afirma.

“Esses dados são de extrema importância para justificar a expressiva e crescente demanda de pacientes que necessitam de procedimentos cirúrgicos na especialidade de Cirurgia Buco-Maxilo-Facial, sejam de urgência/emergência ou eletivos, nos hospitais da Rede Estadual de Saúde do Estado. Não podemos prescindir da presença do material cirúrgico, como órteses, próteses e materiais especiais - OPME, na Unidade do Complexo Hospitalar Monsenhor Walfredo Gurgel, sob pena de inviabilizar assistência adquada à população", alerta o especialista. O Complexo Monsenhor Walfredo é o maior hospital público para atendimento do trauma no Rio Grande do Norte.



Últimas notícias


Ver todas as notícias